quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Lenda das Arcas



Segundo a lenda, que aqui deixo nuns versos do Conde de Monsaraz, existem no interior dos muros do Castelo de Montemor-o-Novo, enterradas pelos seus primeiros habitantes - sabe-se lá se romanos, se mouros, se cristãos -, duas grandes arcas. Uma, cheia de ouro e riquezas tais que fartarão toda a terra de Portugal. Mas a outra, cheia de peste, que, uma vez aberta, vomitará a fome, a febre e a miséria que matarão toda a gente, sem dó nem piedade. Ninguém até hoje lhes ousou tocar, Nem mesmo em época de crise.  Por isso, as arcas continuam bem escondidas. Quem terá ousadia de as procurar e a imprudência de as abrir?...

                        
Entre escombros na rudeza
De vestuta fortaleza,
Batidas de vento agreste,
Empedernidas, cerradas,
Há duas arcas pejadas,
Uma de oiro outra de peste

Ninguém sabe ao certo qual
Das duas arcas encerra,
O fecundo manancial
Que fartará de oiro a terra
Mesquinha de Portugal;
Ou qual, se não imprudente
Lhe erguer a tampa funérea
Vomitará de repente
A fome, a febre, a miséria,
Que matará toda a gente

Sempre que o povo faminto,
Maltrapilho e miserando,
Fosse ele cristão ou moiro,
Entrou no tosco recinto
Para salvar-me arrombando
 A arca pejada de oiro,
Quedou-se, os braços erguidos,
O olhar atónito e errante,
Sem atinar de que lado
Vinha morrer-lhe aos ouvidos
Uma voz agonizante
Entre ameaças e gemidos

"Ó povo de Montemor,
Se estás mal, se és desgraçado
Suspende, toma cuidado,
Que podes ficar pior!"

E nestas perplexidades
E eternas hesitações
Hão-de passar as idades,
Suceder-se as gerações
E continuar na rudeza,
Batidas de vento agreste,
Empedernidas, cerradas,
As duas arcas pejadas,
Uma de oiro outra de peste

       Nestes versos o Conde de Monsaraz não refere, concretamente se se trata de Montemor-o-Novo, ou Montemor-o-Velho, localidade que reclama a lenda como tendo origem no seu castelo.
       Eu sempre a ouvi contar como sendo do castelo de Montemor-o-Novo, e, tendo em conta a ligação do Conde a Monsaraz, e a localização desta em relação aos dois castelos que reclamam a lenda como sua, acredito que seja mesmo Montemor-o-Novo que inspirou os versos.
       Claro que a lenda pode existir nas duas localidades, como acontece com outras lendas, que têm versões semelhantes em vários locais.

1 comentário:

Ricardo Trindade disse...

ja ouve varios estudos em relaçao a essa lenda e sim chegaram a concluçao que a lenda pertençe a montemor-o-novo