quinta-feira, 21 de maio de 2009

A Rua da Parreira


Foi como “Rua da Parreira” que a conheci, mas, parece que anteriormente já se terá chamado “Rua de Santo André”.
Situada no centro histórico da antiga vila de Montemor, fazia a ligação entre a antiga Praça do Peixe e o Terreiro do Espírito Santo, e nela se situava a Albergaria de Santo André, que viria a juntar-se com a Albergaria do Espírito Santo, que ficava nas proximidades, dando origem ao Hospital do Espírito Santo e Santo André, o primeiro hospital da vila.
A Rua da Parreira, como eu a conheci, e como já seria certamente antes disso, pela sua localização, era uma rua importante, de muito comércio e muito movimento. Nela existiam casa de todo o género, desde tabernas a talhos, de mercearias a barbeiros, etc.. Uma das casas que lá existia, e que parece que é a única que ainda hoje resiste, é a Oficina do Zé Ramalho (antiga Latoaria Pisco), onde trabalhava um homem que dava pelo nome de Germano Vidigal, que um dia foi preso pela PIDE, e depois “apareceu morto” no quartel de GNR local.
É em sua homenagem que hoje a rua ostenta o nome de “Rua Germano dos Santos Vidigal”.

2 comentários:

Ana disse...

Gostei de saber estas coisas tão interessantes e que fazem desta Rua especial!
A imagem está excelente adorei!
Beijinhos grandes.

Hugo disse...

Ola caro José

sabes uma coisa ...
falta muito de dar um volta em Portugal , na minha cidade de coração

mais a vida ....e outra .....et néao deixa fazer o que quero

bom domingo

abraço